Como controlar os gastos na volta às aulas

Claudio Considera

27 de janeiro de 2020 | 09h34

Neste período de preparação para volta às aulas a pesquisa pode ajudar os pais no controle dos gastos com material escolar, livros didáticos, uniforme e transporte escolar para que pesem menos no orçamento familiar. Mas é preciso atenção para aliar qualidade, segurança, preço e condições de pagamento.

Cabe ao estabelecimento de ensino informar qual o modelo de uniforme utilizado, assim como os locais onde pode ser adquirido. O fornecimento exclusivamente pela escola é considerado venda casada, o que é proibido por lei. A escola não pode indicar uma determinada loja para a compra do uniforme, se o mercado em geral comercializar o vestuário.

Antes de comprar o material, verifique quais os produtos do ano anterior, em bom estado, podem ser reaproveitados. A escola não pode exigir a aquisição de produtos de uma determinada marca ou local específico. Alguns estabelecimentos promovem o troca troca em que os pais têm condições de oferecer a outros alunos o que já não serve para seus filhos que cresceram, e aproveitam o disponibilizado por outros.

Pesquisar os preços em diversos pontos de vendas, como papelarias, depósitos, lojas de departamentos, entre outros, é fundamental antes de fechar a compra. É mais adequado não levar os filhos na hora da compra, pois são estimulados a escolher o material da “moda” ou o mais sofisticado. Avalie também a possibilidade em grupo de pais.

Produtos com características de brinquedos podem distrair a atenção da criança, prejudicando o seu desempenho. O material escolar é instrumento de trabalho para o aprendizado, portanto deve ser adequado à finalidade a que se destina.

Normalmente os livros custam mais do que todos os demais itens do material escolar. Portanto, é importante comparar preços em mais de uma livraria. Os pais não são obrigados a comprar os livros na escola, nem na livraria indicada.

O transporte escolar requer atenção redobrada na contratação por envolver a segurança dos alunos e pais. Além de exigir a apresentação do alvará de circulação, os pais devem avaliar as condições de conservação e segurança do veículo, pedir referências e orientar as crianças para prestarem atenção à conduta do motorista no trânsito. Além do custo os pais devem verificar as condições do contrato.

Tendências: