Desejo cada vez mais caro

Claudio Considera

31 de maio de 2021 | 09h33

Sempre se disse que um dos maiores objetos de desejos dos brasileiros seria o plano de saúde. Mas, de janeiro a abril deste ano, houve mais de 122 mil consultas à Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), sobre como fazer a portabilidade. Ou seja, mais de 122 mil beneficiários pensavam (e talvez a maioria ainda pense) em trocar de plano. Isso deixa claro que os consumidores procuram um plano menos caro, ou melhor rede assistencial.

Crédito: Free Images


O aumento das consultas ocorreu a partir de janeiro, mês em que chegaram os boletos com a primeira parcela dos reajustes adiados em 2020, devido à pandemia.

Há um abismo entre os reajustes dos planos individuais e os coletivos. Por isso, projeta-se que os beneficiários passem cada vez mais a entrar na Justiça para pedir equiparação entre os percentuais aplicados nos boletos de planos individuais e coletivos.

Os brasileiros fazem de tudo para ter plano de saúde, mas milhões não têm mais como acompanhar reajustes tão acima da inflação, ao mesmo tempo em que se registra o maior desemprego dos últimos 45 anos: 14,7%.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.