Estocar produtos é estimular desabastecimento

Estocar produtos é estimular desabastecimento

Claudio Considera

16 de março de 2020 | 08h43

Alarmados com cenas de prateleiras vazias de supermercados em outros países por conta da pandemia do coronavírus consumidores brasileiros começam a reforçar o abastecimento de produtos não perecíveis em casa.

Medidas alarmistas como estocar produtos podem levar a um desnecessário desabastecimento do mercado. Adquirir além do normal temendo possível isolamento por conta da pandemia só vai fazer os preços subirem e estimular práticas abusivas.

Temos que ser responsáveis e evitar ações prejudiciais ao coletivo. Será que é necessário mesmo adquirir dezenas de rolos de papel higiênico? E por que estocar água mineral?

E lembre-se, não tem álcool gel? Basta lavar muito bem as mãos com água e sabão. Não tem porque fazer filas para compra do produto. Vai depender do comportamento do consumidor a adoção de medidas restritivas ao consumo.

Se comprarmos demais, os produtos vão sumir, os preços aumentar e as pessoas de menor poder aquisitivo serão as mais prejudicadas. Continue comparando preços para evitar elevações artificiais estimuladas pelo pânico de consumidores assustados. O esforço coletivo vai ajudar a superarmos esta fase difícil.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: