Feito para não cancelar

Claudio Considera

13 de janeiro de 2020 | 07h09

Dificultaram tanto as exigências para consulta e cancelamento dos nossos dados no cadastro positivo, a disposição desde o ultimo dia 11, que é como se este direito não existisse.

Sair do cadastro positivo não é fácil (Foto: Bankrate)

Você não pediu para fazer parte e agora tem que enviar até selfie e informar número de IP se não desejar fazer parte desse cadastro de bons pagadores?

Ter que ir ao cartório para autenticar sua assinatura do formulário de pedido para cancelamento? Parece piada, mas é um acinte aos direitos do consumidor.

Para saber sua pontuação e se as informações cadastradas estão corretas também não é fácil. Ou seja, só os interesses dos birôs de crédito foram contemplados.

Não é de se surpreender se os juros não baixarem como prometido e o acesso ao crédito com juros mais baixos para tem uma boa pontuação não se concretizarem.

Ao solicitar a exclusão pela internet você tem que concordar com a coleta de seus dados de identificação como endereço do IP do computador e de cookies além de seus dados pessoais que poderão ser comercializados?

Mesmo ao enviar o formulário de cancelamento por e-mail, sem precisar se cadastrar no site, como é o caso do Serasa,não se livrará de remessa de cópias autenticadas de seus documentos.

Se conseguir vencer todas as exigências prometem que em dois dias úteis seus dados não farão mais parte do cadastro. Boa sorte!

O que farão as entidades de defesa do consumidor?  Ficarão quietas?

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.