Investir em imóveis requer cautela

Investir em imóveis requer cautela

Claudio Considera

21 de setembro de 2020 | 10h56

Diante da queda dos juros a parcela dos brasileiros com recursos financeiros para investimentos tem se interessado pela compra de imóveis, estimulando a retomada da construção civil. Bom sinal para um setor que emprega muito e usa insumos da cadeia produtiva.


É preciso cautela para não tomar uma decisão precipitada e assumir compromissos cujo orçamento familiar não comporte. Principalmente em períodos de crise econômica como este, em que se reduz a garantia de manutenção do emprego. É arriscado assumir um financiamento de longo prazo sem fazer bem as contas sobre o valor das parcelas a serem pagas no período.

Compare e avalie bem as inúmeras ofertas de imóveis na planta, novos, e usados, incluindo imóveis retomados pelas construtoras e incorporadoras por falta de pagamento.

Comprar imóvel na planta requer alguns cuidados extras. O primeiro é com relação à construtora e à incorporadora. Procure, antes de fechar o negócio, conhecer outras obras feitas por elas para checar a qualidade, tanto da construção quanto dos materiais empregados.

Consulte o Conselho Regional de Imóveis para saber a idoneidade dos construtores. Verifique se a planta está aprovada na prefeitura e se a incorporação está registrada no Cartório de Registro de Imóveis. Guarde todos os anúncios, pois eles servem de prova se houver descumprimento do que foi prometido.

Por fim, acompanhe o andamento da construção, visitando periodicamente a obra. A informação é um dos direitos básicos, assegurado no artigo 6º do Código de Defesa do Consumidor.

Quem contratar algum serviço e não for devidamente informado quanto as suas características e principalmente quanto as suas restrições e depois descobrir que o serviço não corresponde às suas expectativas tem o direito de reclamar à empresa e exigir que a oferta seja cumprida.


Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.