Mais uma derrota para o consumidor: Aneel desativa central de atendimento

Brasileiro paga caro pela energia e tem serviço de qualidade duvidosa e agora, se quiser reclamar, só poderá fazê-lo por formulário no site ou correspondência

Economia & Negócios

06 de maio de 2016 | 10h56

A prova do descaso com o consumidor por parte das agências reguladoras é a desativação da Central de Teleatendimento da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Eram 90 mil atendimentos mensais de pessoas que antes desse contato tentavam sem sucesso resolver seus problemas diretamente com as empresas.

O brasileiro paga caro pela energia e tem um serviço de qualidade duvidosa e, se quiser reclamar só terá o apoio das entidades de defesa do consumidor, como a Proteste. E o mais triste é que parte do que pagamos na conta de luz é justamente uma taxa para manter a fiscalização, cuja previsão de arrecadação este ano é de R$ 489 milhões.

Estão fora do ar o telefone 167, o chat on-line no portal da Aneel e o telefone 0800-727-0167 (para as agências estaduais conveniadas). Os consumidores que já reclamaram à distribuidora e querem recorrer à Aneel só poderão fazer solicitações pelo formulário no site www.aneel.gov.br e por correspondência.

Cada dia se torna mais difícil para o cidadão se proteger da incúria do poder público por falta de atendimento. Nem mesmo as ouvidorias funcionam a contento, pois acabam sendo cabides de emprego, abrigando protegidos em cargos de confiança.

No post desta segunda-feira, falamos sobre como as perspectivas dos consumidores pioraram nas últimas semanas com as novas regras para distrato, a possível cobrança pelas bagagens nas viagens aéreas e a discussão sobre o limite da banda larga fixa.

Tendências: