Material escolar em tempos de pandemia

Claudio Considera

25 de janeiro de 2021 | 08h54


Quem está se preparando para comprar o material escolar dos filhos nestes tempos estranhos de pandemia se dá conta de itens que se tornaram dispensáveis. Como a mochila, que teve de ser encostada, com as aulas online.

Diversos itens ficaram intocados durante o ano passado. Espera-se bom senso dos estabelecimentos ao definir as exigências para este novo período letivo para evitar gastos desnecessários por parte das famílias.

Neste período de preparação para volta às aulas antes de comprar o material, verifique quais os produtos do ano anterior, em bom estado, podem ser reaproveitados.

Lembre-se que não pode exigida a aquisição de produtos de uma determinada marca ou local específico. Pesquisa é essencial para controlar os gastos com material escolar, livros didáticos, uniforme. Procure aliar qualidade, segurança, preço e condições de pagamento.

Cabe ao estabelecimento de ensino informar qual o modelo de uniforme utilizado, assim como os locais onde pode ser adquirido. O fornecimento exclusivamente pela escola é considerado venda casada, o que é proibido por lei.

As famílias que dependem de transporte escolar precisam renegociar os contratos diante da incerteza da continuidade das aulas presenciais caso a pandemia se prolongue, com o elevado número de casos e a vacinação contra a Covid-19 demore.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.