Não se empolgue com o consumo neste período

Claudio Considera

25 de novembro de 2019 | 10h03

Cuidado com o destino que dará para o 13º salário, ou com os 33% de acréscimo das férias, para quem ainda tem emprego formal. Utilizar estes recursos extras para quitar ou abater o valor da dívida é a medida mais sensata. Ou poupar para gastos extras de Janeiro.

Se livrar de dívidas ajuda a planejar o futuro, adquirir bens de consumo de forma inteligente e usar o crédito para melhoria de vida. Pense bem antes de se empolgar na compra de um novo smartphone, mais roupas, calçados, presentes, viagens.

Não se empolgue com os apelos de marketing da Black Friday e verifique sua fatura do
cartão de crédito. Lembre-se que não adianta se seduzir por uma oferta imbatível e depois ter que usar o limite do cheque especial, reajustado por extorsivas taxas de juros.

Lembre-se que a criatividade pode ajudar na hora de presentear amigos e familiares. Com controle do orçamento pode sobrar para visitar quem mora longe, ou ter um merecido lazer depois de um ano exaustivo em que a crise financeira e o desemprego foram a tônica.

Caso esteja em lista de devedores o melhor a fazer é procurar o credor para renegociar a dívida, ou participar das inúmeras iniciativas de financeiras, bancos e empresas que estão ocorrendo neste período. Desta forma terá acesso a novas compras parceladas e também, se permitirá sonhar com uma vida melhor, com controle do orçamento familiar.

Tendências: