Olho vivo nas despesas, inflação está em alta

Claudio Considera

28 de junho de 2021 | 09h40

Como a equipe econômica do governo federal não deu conta do recado no controle à inflação – também com relação ao desemprego –, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central entrou em ação, aumentado a taxa básica de juros, a Selic. Na mais recente reunião, para 4,25%.

Controle os gastos

Taxas de juros mais elevadas encarecem o custo do dinheiro, o que acaba chegando às compras de todos nós. Além disso – e o que mais afeta nossos bolsos –, a estimativa de inflação para este ano subiu para quase 6%. Como a meta de inflação é 3,75%, fica claro que os preços estão em alta, o que é facilmente verificável ao pagar combustíveis, gás de cozinha, energia elétrica, carne, arroz, óleo etc.

Portanto, muito cuidado: faça orçamento e avalie muito bem cada gasto acima de determinado valor (que você deve fixar). Juros, inflação e desemprego em alta compõem uma mistura destruidora para a renda das famílias. Olho vivo nas despesas!

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.