Como não estourar o orçamento no Natal

Como não estourar o orçamento no Natal

Partilhar é o verbo mais indicado para que as festas de final de ano não murchem com a crise

Economia & Negócios

14 Dezembro 2015 | 11h43

Foto: Free Images

Foto: Free Images

O Natal é a festa máxima da cristandade. Em um período de aguda crise econômico-financeira como agora, há uma preocupação justificada com os gastos da ceia, troca de presentes e mais adiante, o réveillon e as férias.

Se o espírito natalino predominar de verdade, é possível reunir a família e os amigos, comemorar, presentar e não estourar o orçamento. Mas, como fazer este milagre? Compartilhando e dividindo as despesas.

Para começar, faça uma lista dos convidados, para ter uma ideia da quantidade de comida, bebida e se o local comporta aquele número de pessoas. Planeje o cardápio conforme o perfil dos convidados. Elabore uma lista com os ingredientes para a ceia, a quantidade de cada um, o valor unitário e o valor total de cada ingrediente. Pesquise os preços antes de se decidir pelo local da compra.

Definidos pratos, sobremesas e bebidas, divida o custo entre os convidados, ou decida se cada um ficará responsável por um ou mais itens.

Da mesma forma, o tradicional amigo secreto evitará que as pessoas tenham de comprar presentes para todos. Deve-se estabelecer o valor máximo do presente, para que ninguém receba uma ‘lembrancinha’.

Quanto às férias, divida também,os custos de hospedagem, alimentação e passeios. Partilhar é o verbo mais indicado para que as festas de final de ano não murchem com a crise.

Mais conteúdo sobre:

ceiafim de anogastosNatal