Peso da conta de luz deixa consumidor no escuro

Quem teve a luz cortada busca as empresas para tentar renegociar o débito e restabelecer a energia

Economia & Negócios

29 Fevereiro 2016 | 17h08

A suspensão da cobrança da bandeira tarifária vermelha em abril não traz alívio para quem já não vem pagando a conta de luz por conta do aumento superior a 50% no ano passado, na maioria dos Estados. O governo arrecadou R$ 14 bilhões no ano passado com as bandeiras tarifárias, R$ 1 bilhão a mais do que custou o acionamento das termelétricas para compensar a redução da geração de energia das hidrelétricas afetadas com a escassez de chuva.

O reforço nas ações de economia de consumo foi insuficiente para o brasileiro controlar os gastos, principalmente para quem perdeu emprego e renda. E ainda paga-se caro por um serviço de má qualidade, com quedas frequentes no fornecimento.

A inadimplência disparou em todo o país. Cresceu o total de contas atrasadas, no comparativo entre janeiro deste ano e o de 2015, conforme levantamento do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) e da Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas (CNDL). Quem teve a luz cortada busca as empresas para tentar renegociar o débito e restabelecer a energia.

Em Workshop que a Proteste Associação de Consumidores promoverá nesta terça-feira (1º), das 9h às 12h30,em São Paulo, especialistas debaterão as saídas para mudar este cenário. Ainda é possível se inscrever gratuitamente para o Workshop: Os Dilemas da Energia Elétrica, A participação pode ser confirmada pelo e-mail seminario@proteste.org.br.