Prepare-se para a Black Friday

Claudio Considera

08 de novembro de 2021 | 11h20


Sexta-feira, 26 de novembro. Parece teaser de filme, mas é uma das datas mais importantes para o comércio brasileiro, espécie de pré-vendas de Natal.

Controle os gastos


Nada contra, desde que os consumidores se preparem adequadamente para não sucumbir ao consumismo, comprometendo suas finanças pessoais.

A primeira sugestão é definir de antemão quais produtos e serviços pretendem comprar.

Depois, comparar preços e anotar tudo em um arquivo, para não ficar à mercê da memória. Feitas as contas, consultem o orçamento e estabeleçam limites de gasto.

Cabe também uma consulta prévia às reclamações referentes aos produtos escolhidos. Por exemplo, se for um aparelho de TV, pesquisar as lojas que vendem este item, para identificar quais têm mais demandas dos consumidores.

No dia 26, procurar as ofertas e responder a uma série de questões: se o desconto vale também para pagamento parcelado; qual o prazo de entrega; voltagem; dimensões (nem sempre uma TV de tela grande cabe naquele canto da sala); consumo de energia; assistência técnica; compatibilidade com outros equipamentos.

Há diversas matérias em publicações impressas e virtuais que comparam características técnicas de equipamentos e aparelhos. Descarte sites que têm muitas reclamações não solucionadas em entidades de defesa do consumidor ou redes sociais.

No caso de roupas e de calçados, veja as instruções dos fabricantes relativas a tamanhos. O ‘G’ de algumas confecções pode ser “M” ou “P”, pois não há padronização neste aspecto.

E no caso de perfumes, a procedência é fundamental. Por último, mas não menos importante, desconfie de descontos de 50% ou mais. Milagres são raros, principalmente nas relações de consumo. Também não confie em sites totalmente desconhecidos.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.