Privacidade em jogo

Economia & Negócios

06 Junho 2018 | 12h38

Os brasileiros que costumam comprar passagens de companhias aéreas europeias têm sido consultados, desde o último dia 25, se autorizam a captação e uso de seus dados pessoais.

Com a entrada em vigor da lei de proteção de dados pessoais da União Europeia as empresas desses países se preocupam em garantir a privacidade de seus clientes que não desejarem ter seus dados expostos ou vendidos.

Situação bem diferente do Brasil onde a discussão das propostas de lei de proteção de dados, com tramitação no Congresso Nacional  só avançou depois de cinco anos, e agora ainda vai para votação no Senado.

Na contramão desse movimento internacional pelo direito à privacidade temos no Brasil o projeto que torna obrigatória a inserção de todos os consumidores no cadastro positivo, um banco de dados dos bons pagadores.

 É triste ver que para não ter suas informações compartilhadas o brasileiro terá que pedir. Tudo por uma pretensa redução de juros, mas que não é garantida.