Sem dados confiáveis da pandemia, economia patina

Claudio Considera

10 de janeiro de 2022 | 07h21


Qualquer pessoa que lide com economia e investimentos sabe que instabilidade é um veneno no mundo dos negócios. O apagão de dados do Ministério da Saúde, atribuído a hackers, e a instabilidade de sistemas de notificação de vacinas, casos leves e outros referentes à Covid-19, além de ameaçar a saúde dos brasileiros, prejudicam a retomada econômica.

Parte expressiva da área de serviços, principalmente entretenimento e turismo, depende do avanço da vacinação e da redução dos casos confirmados da Covid. Sem confiança no sistema público federal, milhares – ou milhões – adiam passeios, viagens, idas ao shopping, tornando ainda mais precário o mercado consumidor.

Garantir todos os dados possíveis sobre a pandemia de coronavírus, portanto, também é fundamental para que haja investimento, aumento do nível de emprego e da renda.

Em pleno avanço da nova variante, a ômicron, o apagão de dados permanece e as investigações do ataque hacker não parecem avançar. Enquanto isto, empresas aéreas são obrigadas a cancelar voos por conta do afastamento de equipes infectadas.

A bagunça informativa e as fake news jogam contra o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), com maior sofrimento para os pobres, os desempregados e os famintos.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.