Todos contra as ligações indesejadas

Claudio Considera

30 de maio de 2019 | 11h14

Foto: Estadão

Bom saber que a Secretaria Nacional do Consumidor , a Senacon, do Ministério da Justiça, promete atacar o problema das ligações indesejadas, causa de transtorno aos consumidores, que muitas vezes atendem e as chamadas caem ou ficam mudas. É um tiro no pé essa estratégia de marketing que se utiliza de robôs.

A expectativa é que a regulamentação desse tipo de telemarketing, estudada para breve, reduza ou ponha a fim à prática de infernizar a vida do consumidor com ofertas indesejadas de produtos e serviços principalmente financeiros e de Teles.

O resultado da pesquisa feita com 3.220 consumidores pela plataforma consumidor.gov.br, no mês de Abril, apontou que 92,5% dos participantes recebem chamadas indesejadas e 85,6% delas caem ou ficam mudas. Mais da metade (55,6%) dos consumidores não consegue saber quem ligou.

É importante regulamentar logo, pois se já somos incomodados pelos serviços de telemarketing, imagine o que farão com o acesso ao histórico de crédito dos bons pagadores a partir da vigência do cadastro positivo compulsório a partir do segundo semestre. Mais dor de cabeça com avalanche de ofertas de produtos e serviços indesejados.

O cadastro mantido pelos Procons para registro de linhas telefônicas sem interesse em receber chamadas de telemarketing não tem resolvido o problema. Apesar do pedido de bloqueio,  as ligações persistem. É o que constatou a pesquisa da Senacon. Entre os que responderam a pesquisa, 36,8% disseram já ter cadastrado suas linhas para não receber chamadas de telemarketing.

Tendências: