Água de Cheiro quer mercado do Boticário

Clayton Netz

11 de fevereiro de 2010 | 00h02

 

56551382

A mineira Água de Cheiro quer disputar o mercado de varejo de cosméticos e perfumes com o grupo paranaense Boticário. Depois de passar para as mãos do empresário Henrique Alves Pinto, ex-controlador da construtora Tenda, adquirida pela Gafisa no ano passado, a rede de lojas voltou à mídia, mudou o logotipo, o layout das lojas e abriu 30 unidades pelo País. Resultado: seu faturamento subiu 50% desde novembro do ano passado, quando marcou sua reestreia na televisão, com um comercial estrelado pela atriz Taís Araújo. No próximo dia 14, a protagonista da novela Viver a Vida, da Globo, volta à telinha em nova campanha, ambas assinadas pela agência de publicidade Ficher + Fala!, contratada pela Água de Cheiro para revitalizar a imagem da marca. Nos últimos três meses, a Água de Cheiro investiu R$ 18 milhões em propaganda e promoção.

Com uma rede de 350 lojas, 60% delas franqueadas, a empresa pretende chegar a 1000 lojas no Brasil. “A Água de Cheiro viu uma grande oportunidade de expandir a quantidade de franquias, já que o seu principal concorrente, o Boticário, acumula uma fila de mais de dois mil candidatos a franqueados”, diz Allan Barros, diretor comercial da Fischer + Fala!, responsável pela conta da rede. A ex-dona e fundadora da marca, Elizabeth Pimenta, opera atualmente, por exemplo, três franquias da rede em Belo Horizonte.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.