Cetelem retoma ao azul com lucro ainda pequeno

Clayton Netz

29 de março de 2010 | 20h32

Depois de dois anos de vacas magras, nos quais acumulou prejuízos de R$ 24 milhões( 2007) e R$ 65 milhões(2008), quase uma façanha para quem atua no setor no Brasil, a financeira Cetelem está voltando ao lucro, ainda que pequeno. Controlada pelo francês BNP Paribas, a Cetelem estampará em seu balanço, que será divulgado nesta terça feira, um lucro bruto de R$ 15 milhões. Para melhorar os resultados, a financeira, que completa 10 anos de atuação no País, reforçou sua parceria na oferta de cartões co-branded com grandes redes de varejo, como Submarino, Fnac, Kalunga e Telhanorte, aumentou o limite de crédito de 500 mil dos 3,3 milhões de clientes, investiu na venda de apólices de seguros, bem como triplicou suas operações de crédito consignado de R$ 680 milhões para R$ 1,3 bilhão. “Queremos fechar 2010 com o maior lucro de nossa história no Brasil, com pelo menos R$ 60 milhões”, diz Franck Vignard-Rosez, diretor financeiro da Cetelem.

Tudo o que sabemos sobre:

Cetelemredes de varejo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.