Giraffas vai de feijão com arroz nos EUA

Clayton Netz

18 de fevereiro de 2010 | 10h48

miccieli_2.jpg 

Brasileiros, latinos e americanos residentes na Flórida, com saudades de um bom feijão com arroz, poderão encontrá-lo, dentro de alguns meses, na esquina da Biscayne Boulevard com a 123 Street, em Miami. O prato brasileiríssimo será servido no primeiro restaurante do Giraffas fora do País. A rede brasiliense deve abrir as portas nos Estados Unidos até o fim deste ano. O projeto arquitetônico da nova unidade está quase concluído e as obras devem começar nos próximos meses. Além de oferecer opções com preços acessíveis, que variam de US$ 10 a US$ 15, o Giraffas pretende inovar com o serviço de mesa, que não existe em suas lojas no Brasil. O menu de saladas também vai ganhar um reforço, já que há facilidade no fornecimento do produto. “Não queremos concorrer com hambúrguer e sanduíche. Vamos entrar no segmento de restaurantes tradicionais com preço de fast food”, diz Cláudio Miccieli, diretor executivo do Giraffas. “Seremos um fast casual de alimentação balanceada.” A unidade também vai servir produtos para café da manhã.

A oportunidade de colocar um pé no mercado americano veio com a crise financeira e imobiliária que atingiu o país menos de dois anos atrás. O Giraffas aproveitou o momento para alugar o ponto a um preço mais baixo e conquistar um público que deseja gastar menos com refeições fora do lar. “Há também um movimento crescente em busca de alimentação mais saudável nos Estados Unidos”, disse Miccieli à repórter Naiana Oscar. “Estamos atrás desses clientes.” Para garantir o sucesso do restaurante de Miami, numa operação arriscada como a de internacionalização, Miccieli optou por manter a unidade sob administração própria, sem franquia. O projeto custou em torno de R$ 1 milhão. E o faturamento anual esperado deve girar em torno de R$ 1,3 milhão. “Primeiro vamos focar bem em Miami e, se der certo, vamos para outros mercados.”

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.