As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Brasileiro é o mais entusiasmado com o carro sem motorista

Cleide Silva

27 de outubro de 2014 | 14h50

SÃO PAULO – Consumidores não querem o mesmo produto no mundo todo. Um carro que é desejado por russos e americanos não é, necessariamente, o sonho dos brasileiros, principalmente quando se leva em conta a alta tecnologia.

Para provar os diferentes gostos dos consumidores, o presidente da Volkswagen do Brasil, Thomas Schmall, em recente seminário sobre a indústria automobilística, mostrou pesquisa feita por uma consultoria americana.

A questão era se a pessoa ficaria confortável em estar em um carro totalmente autônomo, veículo que a indústria promete para o futuro próximo.

Entre a média das pessoas consultadas em dez países, 57% disseram que sim. Mas a diferença das respostas de um país para outro é gritante.

Brasileiros são os que mais se sentiriam confortáveis – 95% dos entrevistados responderam sim à pergunta. Os japoneses são os mais desconfiados em relação a essa tecnologia inovadora e só 28% responderam afirmativamente.

Até os alemães, reconhecidos mundialmente pela capacidade de inovar e desenvolver novas tecnologias têm restrições ao carro que dirige sozinho e apenas 32% afirmaram que se sentiriam confortáveis num automóvel desse tipo.

Veja abaixo o porcentual, por país, de pessoas que afirmaram que ficariam confortáveis em estar em um carro autônomo:

Brasil – 95%

Índia – 86%

China – 70%

EUA – 60%

Rússia – 57%

Canadá – 52%

França – 45%

Reino Unido – 45%

Alemanha – 32%

Japão – 28%

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.