As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Sul e Sudeste perdem participação na frota

Cleide Silva

21 de agosto de 2015 | 22h28

 

SÃO PAULO – Mesmo com a crise, o crescimento da frota de veículos no Brasil continua se dando fora do eixo Sul-Sudeste, que já vive um gargalo.

O mais recente estudo da consultoria Jato mostra que as regiões Norte, Nordeste e Centro Oeste concentram atualmente quase 30% da frota nacional circulante. Há dez anos, eram 25%.

Na contramão, Sul e Sudeste viram sua participação cair de 75% para pouco mais de 70%. A região que mais perdeu foi a Sudeste – sua fatia caiu de 54% para 51,4%, já perto de perder a concentração majoritária.

“A alta concentração na região indica que não há mais espaço para tantas vendas”, diz Milad Kalume Neto, gerente de atendimento da Jato. “As empresas precisam explorar novos mercados, principalmente o Centro Oeste e o Nordeste onde há mais demanda.”

Habitante por veículo

Outro dado que indica o processo de interiorização é o número de habitantes por veículo. No Sul, há 4,1 habitantes por veículo e, no Sudeste, 4,55. Já no Norte essa relação é de 10,53 pessoas por carro e no Nordeste, de 10,31.

No Centro-Oeste é de 4,37 veículos, mas Kalume ressalta que esse dado é “inflacionado” pela alta concentração de veículos registrados no Distrito Federal em razão das compras do governo federal, cuja frota não necessariamente circula localmente.

A média brasileira é de 5,5 habitantes por carro.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: