PagSeguro, do Uol, antecipou oferta de ações para contra-atacar concorrência

PagSeguro, do Uol, antecipou oferta de ações para contra-atacar concorrência

Economia & Negócios

20 Junho 2018 | 04h00

A PagSeguro, do Uol, teria antecipado a oferta de ações, de cerca de US$ 1,2 bilhão, anunciada na segunda-feira, dia 18, e que pegou o mercado de surpresa, para ser mais agressiva em seu plano de expansão. O movimento, que penalizou as ações da adquirente no pregão desta terça-feira, dia 19, é um contra-ataque a investidas de concorrentes junto ao seu público-alvo: os micro e pequenos empreendedores (MEIs). A Cielo, de Bradesco e Banco do Brasil, já reforçou a atuação junto a esse público, inclusive com um empurrão dos sócios, enquanto a Rede, do Itaú Unibanco, também cogita disputar essa clientela. Em paralelo, novos entrantes seguem aumentando a competitividade no setor de cartões. Vale lembrar que dois terços da nova oferta da PagSeguro são secundários, ou seja, o dinheiro vai para o bolso dos sócios.

Nunca antes
A Cielo, que lidera o mercado de maquininhas no Brasil, já mudou seu discurso. Tem dito nos bastidores que pode até perder margem, mas não irá mais ver sua participação encolher como nos últimos anos. Está, inclusive, mais agressiva em marketing. No mercado, porém, a leitura é de que o sinal, tanto da PagSeguro como da Cielo, é ruim para ambas. Na prática, vão queimar recursos com uma disputa mais acirrada. É tudo o que o Banco Central deseja: mais concorrência e menor custo ao lojista. A PagSeguro não comentou.

Siga a @colunadobroad no Twitter