Credores da Rodovias do Tietê decidem execução de garantias na semana que vem

Credores da Rodovias do Tietê decidem execução de garantias na semana que vem

Coluna do Broadcast

13 de dezembro de 2019 | 07h39

Por Cynthia Decloedt

Os maiores credores da concessionária Rodovias do Tietê irão discutir na terça-feira da próxima semana, dia 17, o que farão com as garantias que receberam pelo investimentos em R$ 1 bilhão feitos em 2013, em debêntures de infraestrutura da concessionária. As garantias são ações da empresa e recebíveis de pedágios. Na semana passada, houve tentativa de instalação da assembleia, mas não houve quórum. Nesta segunda convocação, não há necessidade de quórum. As debêntures – papéis que representam dívidas da companhia – estão nas mãos de cerca de 15 mil pessoas físicas, custodiadas na XP Investimentos e outras casas, como family offices.

Campo minado. A execução das garantias é complicada. No caso das ações, implicaria na transferência da empresa para um grupo pulverizado de pessoas que teria de administrar uma concessão. Essa situação teria grande chance de ser barrada pelo regulador. No entanto, há quem diga que a tomada das ações pelos debenturistas não é impossível, passando pela criação de uma sociedade de propósito específico. Ficar com os recebíveis – no caso, o dinheiro pago nos pedágios – seria porém um tiro no pé, já que são os geradores de caixa da empresa

Em suspense. O pedido de recuperação da concessionária não foi ainda deferido pelo juiz, ou seja, está pendente. Na prática, empresa segue desprotegida de credores. A expectativa é de que o juiz dê um parecer até amanhã. Procurada, a Rodovias do Tietê não comentou.

contato: coluna.broadacast@estadao.com

Siga a @colunasobroadcast no Twitter

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: