Odebrecht e WTorre negociam mega projeto imobiliário em terreno do Carrefour

Odebrecht e WTorre negociam mega projeto imobiliário em terreno do Carrefour

Circe Bonatelli

06 de março de 2020 | 05h04

FOTO: NILTON FUKUDA/ESTADÃO

A construtora residencial OR (antiga Odebrecht Realizações Imobiliárias) está prestes a vender para a WTorre o projeto de um mega complexo imobiliário no terreno do Carrefour na Marginal Pinheiros, zona sul de São Paulo. Já aprovado na prefeitura, o empreendimento contempla três torres – uma corporativa, uma residencial de alto padrão e uma de uso misto – com valor geral de vendas total estimado em R$ 1,3 bilhão. Advogados e executivos das empresas estão debruçados sobre a papelada e devem assinar a transação em breve.

Sociedade. Sem fôlego financeiro, a Odebrecht vai passar o projeto adiante e receber em torno de R$ 50 milhões. Permanecem no negócio outros sócios, como Roberto Fulcherberguer (presidente da Via Varejo) e a família Zaffari (da rede supermercadista), que anos atrás investiram em Certificados de Potencial Adicional de Construção (Cepacs), em troca de uma participação.

Demorou a andar. O projeto está aprovado desde 2017, mas não saiu do papel devido à crise nacional que abateu o mercado imobiliário. Agora, a recuperação do setor voltou a despertar o interesse dos empreendedores. Outros grupos chegaram a avaliar a empreitada, mas desistiram de avançar devido aos custos elevados de construção. O novo dono terá o compromisso de erguer um shopping center para abrigar uma loja remodelada do Carrefour, que não aceita interromper suas vendas no local. Só depois disso, a loja atual poderá ser demolida para a construção dos outros prédios. A WTorre já tem conversas em andamento com potenciais parceiros para erguer os demais edifícios, e as obras deverão começar em até dois anos. Procurada, a OR não comentou o assunto. WTorre e Carrefour não responderam até a publicação desta reportagem.

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Siga a @colunadobroadcast no Twitter

Quer saber mais sobre o Broadcast? Fale conosco

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: