Em trimestre agitado para hospitais, Bionexo tem avanço recorde

Em trimestre agitado para hospitais, Bionexo tem avanço recorde

Matheus Piovesana

28 de maio de 2021 | 06h23

Foto: Wilton Júnior/ Estadão

Em um período de corrida dos hospitais por medicamentos e insumos diante da segunda onda da covid-19, a health tech Bionexo teve crescimento recorde no primeiro trimestre. Sua plataforma registrou R$ 4 bilhões em transações, salto de 49% em relação ao mesmo período de 2020. Cerca de 64% dos leitos de alta complexidade do País estão ligados aos clientes da empresa.

Ao contrário da maioria das plataformas de vendas online, a Bionexo não fatura com taxas por transação, mas com assinaturas por seus serviços, que vão da gestão de compras a modelos analíticos sobre preços de insumos – a empresa diz que 99% de sua receita é recorrente. No primeiro trimestre, o faturamento subiu 28%, para R$ 26,4 milhões. A base de clientes pagantes foi a 5,7 mil, avanço de 26%.

Controlada pelo fundo Prisma Bazar e pela Apus e investida de uma subsidiária do fundo estatal de Cingapura Temasek, a Bionexo tentou abrir capital na temporada mais recente de ofertas na B3, mas desistiu no fim de abril, engrossando a fila de ofertas que caíram diante da volatilidade do mercado. Seu pedido de oferta, entretanto, ainda está de pé na Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Esta reportagem foi publicada no Broadcast+ no dia 27/05, às 14H00.

O Broadcast+ é uma plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse.

Contato: colunabroadcast@estadao.com

 

Tudo o que sabemos sobre:

Healthtechsaúde#covid-19

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.