À espera de sabatina, CVM completa oito meses com colegiado desfalcado

À espera de sabatina, CVM completa oito meses com colegiado desfalcado

Mariana Durão

04 de setembro de 2020 | 05h00

Foto: Fabio Motta/Estadão

Com um estoque de mais de uma centena de processos na fila para julgamento, o colegiado da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) completou oito meses com um diretor a menos. Apesar de o nome do advogado Alexandre Rangel ter sido aprovado em abril, até hoje ele não assumiu o posto deixado por Carlos Rebello em 31 de dezembro.

Apagão de sabatinas. O candidato a diretor da xerife do mercado de capitais aguarda ser convocado para sabatina na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado. O último a passar pelo crivo foi Fábio Kanczuk para exercer o cargo de diretor do Banco Central em 29 de outubro de 2019, ou seja, bem antes da pandemia.

Sem perspectiva. À Coluna, a Presidência do Senado informou que não há previsão de realização de sabatina de indicados na CAE, ao contrário de outras, como a Comissão de Relações Exteriores (CRE) e a Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), que terão sabatinas nos dias 21 e 22 de setembro.

Enquanto isso, na Sala de Justiça? Além de dificultar o andamento dos trabalhos na cúpula da CVM, que tem que lidar com casos complexos como os da Petrobras e JBS, a demora na aprovação de Rangel tem como consequência a redução de seu mandato. Ele não será prorrogado, por conta do atraso da CAE. Dos cinco anos previstos, restam apenas quatro anos e quatro meses.

 

Esta reportagem foi publicada no Broadcast+ no dia 03/09/2020 às 10:27:13 .

O Broadcast+ é uma plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse http://www.broadcast.com.br/produtos/broadcastplus/

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Tudo o que sabemos sobre:

CVM

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: