Access, de gestão de informação, separa US$ 500 milhões para aquisições no País

Access, de gestão de informação, separa US$ 500 milhões para aquisições no País

Juliana Estigarríbia

03 de agosto de 2021 | 16h30

Norte-americana tem interesse em empresas de guarda e digitalização de documentos FOTO ALEX SILVA/ESTADAO

A norte-americana Access, que atua em gestão de informações, pretende investir US$ 500 milhões em aquisições no Brasil, para crescer na prestação de serviços de gestão e guarda de documentos físicos e digitais.

A Access está de olho em empresas de tecnologia, inclusive startups, e aquelas que fazem guarda e digitalização de documentos. A empresa tem aproximadamente 1,2 mil clientes no País em diversos segmentos, como bancos, seguradoras e escritórios de advocacia.

Nascida na Califórnia, a companhia tem como principais investidores os fundos Berkshire Partners e GI Partners e como estratégia de crescimento as aquisições: desde a sua fundação, em 2004, foram cerca de 170. No Brasil, foram seis compras desde 2015, início da operação local.

O vice-presidente sênior da Access América Latina, Inon Neves, afirma que, além de gerir os documentos, a companhia categoriza, guarda e configura as informações, tornando o uso mais fácil por parte dos clientes. Em tempos de ataques cibernéticos, a Access mantém a equipe de tecnologia dentro de casa, para dar mais segurança aos dados “confidenciais e sensíveis”.

A pandemia acelerou a digitalização dos negócios. Segundo Neves, 70% da receita da Access no País vêm da gestão digital, o que é visto como potencial de crescimento para a empresa.

 

Esta nota foi publicada no Broadcast+ no dia 03/08/2021, às 13h58.

Broadcast+ é uma plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse 

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Tudo o que sabemos sobre:

#startupstecnologiagestão de informação

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.