Acionistas querem acionar GWI por danos na Gafisa

Acionistas querem acionar GWI por danos na Gafisa

Coluna do Broadcast

04 de maio de 2019 | 04h00

Por Circe Bonatelli

Um grupo de investidores quer acionar a GWI, de Mu Hak You, pelos seus atos quando esteve no comando da Gafisa. A Associação Brasileira de Investidores (Abradin), presidida por Aurélio Valporto, está cobrando da atual administração da incorporadora que a responsabilização de Mu Hak seja pauta de uma das próximas assembleias. A associação suspeita, entre outras coisas, que a GWI agiu de má-fé ao iniciar um programa de recompra de ações justamente quando a Gafisa tinha pouco dinheiro em caixa. A medida valorizou os papéis, beneficiando a própria GWI, que foi a maior acionista da companhia até o começo deste ano. Em paralelo, fornecedores ficaram sem pagamento. A Gafisa fechou 2018 com R$ 137,2 milhões em caixa e dívidas de R$ 348,4 milhões a vencer neste ano.

Varredura. Para que a responsabilização da GWI seja levada para assembleia, a atual administração aguarda apenas ficar pronto o laudo da comissão de auditoria montada para fazer uma varredura nas contas da Gafisa. O atual presidente da incorporadora, Roberto Portella, também já disse que vai revisar os atos da administração da GWI, como o processo que levou Mu Hak a ultrapassar a marca de 50% das ações da incorporadora sem realizar uma oferta pública de ações (OPA), conforme determina o estatuto da companhia. Procuradas, Gafisa e GWI não se manifestaram.

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Siga a @colunadobroad no Twitter

Para ver a Coluna do Broadcast sem o delay assine o Broadcast+

Tudo o que sabemos sobre:

GWIGafisa

Tendências: