Acordo de acionistas da Usiminas continua a ser questionado

Coluna do Broadcast

10 de janeiro de 2017 | 05h00

usiminas_div_blog

(Foto: Divulgação)

Passada meia década de sua alteração, o acordo de acionistas da Usiminas, que exige consenso de seus signatários na hora da tomada de decisão, ainda chama a atenção de agentes de mercado. Uma fonte destaca que o acordo de acionistas era bem visto pela Ternium, sócia da Nippon Steel na Usiminas, quando ela tinha a presidência da companhia.

Mudança

Agora, a Ternium defende a adoção de uma cláusula de saída, que permita que um dos sócios possa comprar a participação do outro, prevalecendo o maior preço. O lenga-lenga vivido pela Usiminas é um caso típico de mediação, relata Tomaz Solberg, que intermedia esse tipo de negociação. No entanto, afirma, é necessário que os dois lados queiram resolver o conflito e peçam ajuda.

Siga a @colunadobroad no Twitter

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.