“Adquiri um respeito maior pela covid”, diz CEO da MRV, em recuperação

“Adquiri um respeito maior pela covid”, diz CEO da MRV, em recuperação

Circe Bonatelli

05 de março de 2021 | 18h00

Eduardo Fischer, copresidente da MRV. Foto: Márcio Fernandes/Estadão

O copresidente da MRV, Eduardo Fischer, passou uma boa parte da semana amuado no sofá de sua casa, em Minas Gerais, sob efeitos da covid-19. O empresário de 47 anos sentiu o primeiro sintoma – uma dor de garganta – na sexta-feira da semana passada, 26. Naquela noite, teve um cansaço acima do comum na academia e decidiu voltar para casa. No sábado pela manhã, encerrou a partida de tênis em meia hora, também abalado pelo cansaço.

De molho. Fisher fez o exame e recebeu o resultado positivo para o novo coronavírus. Dali em diante ficou de molho, com visitas médicas a domicílio, até quinta-feira, 4, quando começou a se recuperar. “Sou uma pessoa jovem ainda, eu me exercito e não tenho problemas de saúde. Me chamou atenção que os sintomas foram mais elevados do que eu esperava. Fiquei muito cansado, só queria dormir”, relata. “Adquiri um respeito maior pela doença, foi pior do que eu imaginava”.

Compra de vacinas. Fischer divide a presidência da maior construtora residencial do País com o primo Rafael Menin, filho do fundador e controlador da MRV, Rubens Menin. A companhia tem acompanhado as discussões de grupos empresariais para a compra da vacina e considera a possibilidade de vir a adquirir os imunizantes quando a prática for autorizada pelo governo federal.

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Tudo o que sabemos sobre:

MRVcovidpandemiaEduardo Fischer

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.