Agentes autônomos abrem fogo contra plataformas livres de assessores

Agentes autônomos abrem fogo contra plataformas livres de assessores

Coluna do Broadcast

09 de abril de 2019 | 04h00

Irritados com a proposta de marketing da plataforma de investimentos da fintech Pi, de propriedade do Santander, a Associação Brasileira dos Agentes Autônomos de Investimento (Abaai) saiu em defesa do setor. A entidade rebate as críticas quanto a eventuais custos embutidos na remuneração dos ativos pelo trabalho executado pela categoria. Em carta aberta, a Abbai defendeu a necessidade desses profissionais, dada a baixa educação financeira do público brasileiro, e ressaltou que o que ganham por seu trabalho vem das plataformas de investimentos com as quais estão conectadas – sem negar que haja, no final, um custo embutido.

Semântica. Lançada em março, a plataforma Pi, focou seu apelo no fato de que o investidor não precisa “gastar” dinheiro com agentes autônomos para escolher onde melhor colocar seus recursos. Por isso, a Pi promete transformar o custo do agente autônomo presente nas plataformas que utilizam esse modelo em pontos, que podem ser capturados pelo cliente em dinheiro ou serem reinvestidos na própria plataforma.

Siga a @colunadobroad no Twitter

Para ver a Coluna do Broadcast sem o delay assine o Broadcast+

Tudo o que sabemos sobre:

Santander Brasil;agentes autônomos

Tendências: