Agentes autônomos da XP tranquilizam clientes sobre entrada de Itaú

Coluna do Broadcast

12 de maio de 2017 | 05h00

Os agentes autônomos da XP Investimentos têm tentado tranquilizar muitos clientes sobre a entrada do Itaú Unibanco como sócio da corretora. O discurso transmitido é de que a XP ganhará mais musculatura e de que o portfólio de opções de investimento disponíveis na plataforma – como os CDBs de bancos médios – seguirá inalterado. Os agentes têm dito ainda que, em muitas aquisições, o Itaú não interferiu na gestão, como em Rede (ex-Redecard) e BMG no consignado. Atualmente, a XP tem em seu guarda-chuva mais da metade dos agentes autônomos de investimentos do País, que somam cerca de três mil profissionais. A preocupação desse público, por outro lado, é sobre como o novo sócio vai se posicionar em relação à estrutura de distribuição da corretora.

Sem teto

Enquanto isso, alguns agentes da XP já começam a se movimentar em busca de outras casas independentes. Eles temem que as carteiras comecem a minguar, uma vez que perderão o apelo da desbancarização com a qual, até o momento, conseguiram atrair clientes.

Consultada

A corretora Genial, por exemplo, tem sido procurada por esses agentes, na esteira das informações sobre a venda. Com 150 mil clientes e R$ 12 bilhões de ativos sob administração, ela está logo atrás da XP em tamanho. E não é só por correspondentes. Fundos de private equity também procuraram a corretora nos últimos dias, na tentativa de marcar reuniões.

 

Siga a @colunadobroad no Twitter

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: