Além de Rede D’Or e Fleury, XP oferece Alliar a fundos de private equity

Além de Rede D’Or e Fleury, XP oferece Alliar a fundos de private equity

Fernanda Guimarães e Cynthia Decloedt

30 de setembro de 2021 | 05h10

 

Competição pela fatia na empresa de diagnósticos clínicos deve crescer  Foto: Werther Santana /Estadão

Com o mandato para a venda da participação dos médicos na empresa de diagnósticos clínicos Alliar nas mãos, a XP está conversando com potenciais interessados no negócio. Estão no grupo a gigante Rede D’Or, dona dos Hospitais São Luís, e o Grupo Fleury. Ambos já demonstraram publicamente interesse no ativo, mas a competição não vai ficar apenas entre eles: fundos de private equity (que compram participação em empresas) também estão sendo sondados. Na manga, a Alliar, que é dona de 15 marcas, entre elas o laboratório CDB, tem um parque instalado de máquinas, no qual a XP prioriza sua estratégia para atrair interessados. No total, são 17 aparelhos de ressonância e mais de 50 para a realização de tomografias.

A contratação da XP é consequência da acirrada disputa pelo ativo, que começou com o interesse da Rede D’Or, teve a entrada do Fleury e terminou com o emblemático empresário Nelson Tanure no ringue. Por meio de seu fundo MAM Asset Management, Tanure adquiriu uma fatia de 21% da Alliar. Pagou um valor alto, uma vez que as ações da companhia dispararam quando o interesse da Rede D’Or ficou conhecido.

As ações da Alliar chegaram a subir 60% em agosto, em meio às manifestações de interesse pelo ativo. Em setembro, no entanto, caíram 9%, quando a Rede D’Or recolheu sua oferta de compra via Bolsa.

De posse de uma fatia representativa na empresa, Tanure está agora questionando o acordo de acionistas firmado pelos médicos fundadores da Alliar e outros, que têm mais de 50% de participação. O compromisso foi assinado após a entrada inesperada de Tanure, e definiu uma estratégia de venda de ações e um plano estratégico.

O MAM entrou com pedido de assembleia geral extraordinária para deliberar sobre a destituição do atual conselho de administração e a eleição de nova chapa, bem como um aumento de capital. Tanure ainda deseja a aprovação de novo plano estratégico, a constituição de novo conselho médico e a destituição do conselho fiscal. O prazo para a convocação da AGE solicitada pelo MAM termina em 4 de outubro. Procurada, a Alliar não comentou.

 

Esta nota foi publicada no Broadcast+ no dia 29/09/2021 às 18h49.

Broadcast+ é a plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.