Ambev notificou Cade sobre combinação de preços de pequenos fabricantes

Coluna do Broadcast

21 de março de 2017 | 05h00

Heineken e Brasil Kirin não são as únicas empresas que viraram alvo de manifestação da Ambev, maior cervejaria do Brasil, ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). A autarquia instaurou, em fevereiro, um processo administrativo, a partir de uma petição feita pela Ambev, contra a entidade que reúne pequenos produtores de refrigerantes, a Associação de Fabricantes de Refrigerantes do Brasil (Afrebras). No documento, a Ambev diz ter evidências de que os fabricantes regionais – que têm 10% do mercado de refrigerantes, ante os pouco menos de 20% da Ambev e os quase 70% da Coca-Cola – combinaram preços entre si.

Rivais

O Cade considerou em nota técnica haver indícios de orientação da Afrebras sobre condutas de mercado aos associados. O presidente da entidade, Fernando Rodrigues de Bairros, rebate a acusação: “Não temos condições de fixar preços porque esse é o nosso diferencial de venda”. Procurada, a Ambev não comentou. (Dayanne Sousa)

Siga a @colunadobroad no Twitter

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.