Ancorada, operação da Azul traz fundo estreante no Brasil

Ancorada, operação da Azul traz fundo estreante no Brasil

Cynthia Decloedt e Fernanda Guimarães

12 de novembro de 2020 | 05h30

O fundo norte-americano de Nova Jersey Lord Abett foi um dos investidores na oferta de debêntures conversíveis em ações da companhia aérea Azul. Com US$ 210 bilhões sob gestão, o fundo se uniu ao Knighthead Capital Management LLC e à Certares Management LLC, investidores âncoras na emissão. No total, foi captado R$ 1,75 bilhão, que dará respiro de caixa à empresa, afetada pela pandemia. O Lord Abett é detentor de títulos de dívida (bonds) da Azul e subscreveu uma pequena fatia das debêntures conversíveis em ações.

Frequente. A Knighthead Capital Management LLC, por sinal, também participa do grupo de credores que ajudou a compor o empréstimo à Latam, no processo de recuperação judicial da aérea nos Estados Unidos. Com a oferta, a Azul pode abrir mão dos recursos do pacote do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Procurado, o Lord Abett não respondeu até o fechamento da nota.

 

Esta reportagem foi publicada no Broadcast+ no dia 11 /11/2020 às 18:15:23 .

O Broadcast+ é uma plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse http://www.broadcast.com.br/produtos/broadcastplus/

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Tudo o que sabemos sobre:

azul

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: