Andrade Gutierrez dá calote de US$ 43 mi em investidor estrangeiro

Andrade Gutierrez dá calote de US$ 43 mi em investidor estrangeiro

Cynthia Decloedt e Altamiro Silva Junior

24 de agosto de 2021 | 05h00

Com pandemia, empresa sofreu novo baque nas receitas Foto: FABIO MOTTA/ESTADÃO

Em dificuldades desde que foi alvo das investigações da Lava Jato, a Andrade Gutierrez volta aos holofotes ao deixar de honrar mais um pagamento a investidores que compraram títulos de dívida que emitiu no exterior (bonds). Ontem, 23, a companhia não pagou US$ 43,2 milhões desses bonds – e os donos dos títulos não quiserem saber de voltar à mesa para renegociá-los. Isso porque já houve acordo em 2018, quando o montante envolvido era de US$ 336 milhões em papéis que venciam em 2021. Houve depois uma segunda rolagem, em 2019, quando a AG conseguiu levar o vencimento para 2024 e reduziu o juro de 11% para 9,5% e ainda captar um pouco mais de recursos, o que aumentou sua exposição aos estrangeiros por meio de bonds, para US$ 480 milhões.

Com a pandemia, a empresa sofreu novo baque nas receitas e no fim do ano passado precisou negociar a extensão do prazo para pagar US$ 23 milhões em juro (cupom) que venciam em dezembro de 2020. Em troca, ofereceu juro mais alto, de 11,5% ao invés de 9,5% do contrato anterior. A empresa também tinha outro cupom vencendo em junho deste ano, de US$ 22 milhões. Em dezembro, a Fitch Ratings rebaixou a nota da Andrade Gutierrez Engenharia para “C”, indicando risco alto e default próximo.

De lá para cá, a AG tem tido assessoria financeira da Moelis & Co para conduzir as conversas com os bondholders em mais uma reestruturação. Os bonds têm as ações da CCR como garantia. A AG negociou a venda de sua participação de 14,86% do capital social que detém na CCR para a IG4. O negócio não está concluído. Em abril, a Fitch fez novo rebaixamento, desta vez da nota do grupo, para “RD”, que significa que a empresa já está inadimplente, após o não pagamento do cupom prorrogado em dezembro.

Procurada, a Andrade Gutierrez afirmou hoje estar em “diálogo com um grupo representativo de bondholders avaliando as alternativas para o equacionamento das notas vencidas”.

A construtora confirmou nesta terça-feira por meio de nota ao Broadcast a contratação da Moelis &Co, “entre outros assessores, para readequar a sua atual estrutura de capital, de forma a preservar sua capacidade comercial, operacional e financeira.”

 

Esta nota foi publicada no Broadcast+ no dia 23/08/21 às 19h06.

O Broadcast+ é a plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse 

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.