Ânimo diminui e Tok&Stok pode adiar IPO para 2020

Ânimo diminui e Tok&Stok pode adiar IPO para 2020

Coluna do Broadcast

22 de março de 2019 | 04h00

Numa indicação do esfriamento do ânimo dos investidores de longo prazo com a reforma da Previdência, o fundo de private equity Carlyle pretende aguardar sinais mais claros para oferecer ao mercado empresas como Ri Happy e Tok&Stok, que estão na fila de seus desinvestimentos. Como já atravessou a mais grave crise econômica e política desde que aportou no Brasil, há 15 anos, com ambas em sua carteira, agora o Carlyle não quer entregá-las a qualquer preço. Para a Tok&Stok, que considera um excelente caso para uma oferta em bolsa (IPO, na sigla em inglês), o fundo não descarta aguardar inclusive até 2020 para lançar as ações. Se isso acontecer, o IPO da rede de móveis e decoração, onde o Carlyle entrou em 2012, acontecerá com um ano de atraso ao previsto.

Vou esperar. O que o Carlyle busca com a Tok&Stok e Ri Happy é capitalizar um melhor momento, quando uma indicação mais clara sobre a aprovação da reforma tende a provocar valorização nos preços dos ativos. Na loja de brinquedos, embora a saída preferida seja a bolsa, o Carlyle não descarta uma venda direta a um investidor.

Siga a @colunadobroad no Twitter

Para ver a Coluna do Broadcast sem o delay assine o Broadcast+

Tudo o que sabemos sobre:

Tok&StokIPO

Tendências: