Anos de 2008 a 2011 concentram maiores volumes de M&A

Anos de 2008 a 2011 concentram maiores volumes de M&A

Coluna do Broadcast

02 Outubro 2018 | 04h00

Os anos de 2008 a 2011, entre o final do segundo mandato do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o início do primeiro mandato de Dilma Rousseff, ambos do PT, concentraram os maiores volumes de operações de fusões e aquisições (M&A, na sigla em inglês), com média de US$ 94 bilhões, de acordo com estudo da Thomson Reuters Deals Intelligence.

O levantamento traz os montantes desde o primeiro mandato de Fernando Henrique Cardoso (PSDB), em 1995 – e também logo após a criação do real -, até os primeiros oito meses deste ano, do presidente Michel Temer.

Temer também. Depois desse período de 2008 a 2011, é o ano de 2017, já sob a condução de Temer, que agrega o maior volume de negócios, somando pouco mais de US$ 60 bilhões. O pico do gráfico está em 2010, quando os negócios envolvendo M&A atingiram cerca de US$ 150 bilhões, de acordo com a Thomson Reuters.

Embora os menores volumes se concentrem no governo de FHC, vale lembrar que a abertura do País ao capital estrangeiro era recente e o Brasil atravessava importantes desafios inflacionários e com o câmbio.

Siga a @colunadobroad no Twitter

Para ver a Coluna do Broadcast sem o delay assine o Broadcast+ e veja todos as notícias em tempo real

Mais conteúdo sobre:

reutersM&A