Apenas 30 mil investidores têm mais de R$ 1 mi investidos na B3

Apenas 30 mil investidores têm mais de R$ 1 mi investidos na B3

Fernanda Guimarães

05 de janeiro de 2020 | 04h00

A bolsa brasileira ainda é ambiente dos pequenos investidores. Apenas 30 mil possuem mais de R$ 1 milhão em ações, o correspondente a 2% do total. Esse grupo de investidores, que tiver uma carteira com um rendimento de dividendo (o chamado ‘dividend yeld’), de 3% pagará anualmente R$ 36 com a nova tarifa sobre o processamento de proventos. Ela foi criada pela B3 e anunciada na esteira na nova política de preços da companhia, que também reduziu tarifas cobradas para a negociação de ações, de olho no desenvolvimento do mercado e para a atração da pessoa física. Atualmente, a média do ‘dividend yeld’ no mercado é abaixo de 2%.

Raio-x. Ainda na B3, 80% dos investidores têm menos do que R$ 300 mil investidos em ações. Haverá isenção dessa tarifa para quem tiver até R$ 20 mil investidos, o que engloba 65% dos investidores da B3.

Equipe. A B3 justificou a nova cobrança dizendo que ela se “alinha às práticas de outras Centrais Depositárias ao redor do mundo que, considerando os custos e riscos inerentes a esses processos, cobram pelo processamento de proventos”. Na bolsa há 150 pessoas que trabalham para processar os proventos corporativos.

 

Leia mais: Com ajuda do BNDES, bolsa pode ter melhor início de ano em emissão de ações da história

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: