Aplicativo do banco digital C6 passa a ter investimento em renda variável

Aplicativo do banco digital C6 passa a ter investimento em renda variável

André Ítalo Rocha e Circe Bonatelli

04 de outubro de 2020 | 08h53

Os clientes do C6 Bank poderão investir em renda variável no aplicativo do banco a partir da semana que vem, em mais um passo das fintechs e dos bancos digitais para diversificar a oferta de produtos financeiros e centralizarem a vida financeira dos clientes. Estarão disponíveis investimentos em ações negociadas na B3, ETFs (Exchange-Traded Fund) e BDRs (Brazilian Depositary Receipts). Até então, a base do C6, que chega a 3 milhões de contas, só podia investir em títulos de renda fixa e em 158 fundos, de todos os tipos de estratégias, incluindo ações.

Tudo ali. O novo serviço estará integrado ao aplicativo, sem que os clientes precisem sair desse ambiente pra fazer as operações, como ocorre em um home broker tradicional. Também não será necessário enviar dinheiro a uma corretora. Os recursos a serem aplicados sairão diretamente da conta corrente que o cliente tem no banco e não haverá cobrança de taxa de corretagem.

Disputa acirrada. O lançamento desse novo produto do banco ocorrerá um mês depois de um dos seus principais concorrentes, o Nubank, ter anunciado a compra da Easynvest. As instituições tentam aproveitar o ambiente de juros baixos – que torna a renda variável mais atrativa – para explorar a inundação de pessoas físicas investindo na Bolsa, que já superam 3 milhões.

Contato: coluna.broadcast@estadao.com

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: