Após acertar prazo com Bradesco, CSN tenta reverter ação na Justiça

Após acertar prazo com Bradesco, CSN tenta reverter ação na Justiça

Coluna do Broadcast

30 Setembro 2018 | 05h00

A Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) negociou um prazo com o Bradesco para retomar as conversas sobre o alongamento da sua dívida. Para poder sentar novamente à mesa com seu credor, a empresa se debruça, no momento, em busca de uma solução para um imbróglio na Justiça, diante de uma decisão que a impediu de distribuir dividendos, que ocorreria no dia 30 de agosto, no valor de R$ 890 milhões. Se o pagamento for liberado, parte dos proventos irá ao caixa da holding da família Steinbruch, dona da siderúrgica, e será utilizada para amortizar dívida que ela detém junto ao Bradesco. Esse desenho envolvendo os vencimentos da holding, por sua vez, foi o acertado com credor como condição para o reperfilamento da dívida da CSN. Assim, para seguir com o que foi previamente combinado, a CSN precisa liberar o pagamento. Neste ano, a CSN já negociou sua dívida com o Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal.

Barrados. A decisão da Justiça, que barrou o dividendo, foi dada pela 10ª Vara de Execuções Fiscais da Justiça Federal de São Paulo, após ação da Fazenda Nacional, que tenta trocar a execução de penhora de bens móveis, em uma execução fiscal, por dinheiro. Tal ação ocorreu depois de se tornar público o acerto da empresa com a instituição financeira. Procurados, a CSN e o Bradesco não comentaram.

Siga a @colunadobroad no Twitter

Para ver a Coluna do Broadcast sem o delay assine o Broadcast+ e veja todos as notícias em tempo real