Após aporte do fundo soberano GIC, empresa de tecnologia Sankhya analisa aquisições

Após aporte do fundo soberano GIC, empresa de tecnologia Sankhya analisa aquisições

Cynthia Decloedt

05 de setembro de 2021 | 05h25

Empresa tem clientes nos segmentos de agronegócios, atacado, distribuidores e serviços Foto Ari Ferreira/Estadão

Após receber R$ 425 milhões do fundo soberano de Cingapura GIC, no ano passado, a empresa de sistema de gestão Sankhya está indo às compras. Seu desafio é aumentar em cinco vezes o faturamento até 2025, conforme acordo fechado com o GIC, que passou a deter um terço da companhia.

Na prática, isso significa alcançar R$ 1 bilhão, em quatro anos. A meta é ambiciosa, mas a Sankhya trabalha com projeção de chegar perto do R$ 1,4 bilhão no período, a partir das aquisições previstas.

A estratégia é adquirir empresas que complementem as soluções de gestão oferecidas, voltadas à inteligência de mercado consumidor e atacadista. Também entrar mais forte no mercado de soluções para gestão de recursos humanos, com compras das chamadas RHTechs. As fintechs voltadas a soluções de meio de pagamento também estão na mira.

Outra meta dentro da companhia é se preparar para uma oferta inicial de ações em bolsa (IPO, em inglês), em três anos. Hoje a Sankhya tem 15 mil clientes nos segmentos de agronegócios, atacado, distribuidores e serviços, que têm faturamento entre R$ 500 milhões e R$ 700 milhões, em sua maioria.

Esta nota foi publicada no Broadcast+ no dia 03/09/21 às 18h19.

O Broadcast+ é a plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse 

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.