Após questionar CVM e IPO da XP em artigo, conselheiro da ABAAI é suspenso

Após questionar CVM e IPO da XP em artigo, conselheiro da ABAAI é suspenso

Coluna do Broadcast

04 de outubro de 2019 | 04h00

O debate sobre a exclusividade que os agentes autônomos independentes (AAIs) estão obrigados na distribuição de títulos, como ações, de uma única corretora aumentou de temperatura. Na quarta-feira, um membro do conselho da Associação Brasileira dos Agentes Autônomos Independentes (ABAAI) foi suspenso pela entidade por 30 dias, após receber três notificações de má conduta, envolvendo um artigo publicado.

Correlação. Entre os questionamentos feitos pelo conselheiro, está uma crítica para a postura da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) ao criar a exclusividade dos agentes em 2011. Ele insinua ainda que o timing em que a autarquia pode mudar a lei está relacionado ao da oferta de ações da XP, prevista para o fim deste ano.

Retaguarda. O conselheiro, que recebeu cinco dias para se defender, rebateu formalmente sua “autuação” argumentando não poder ser suspenso pela diretoria que não teria autoridade para tomar medidas contra o conselho. Além da aplicação das advertências e suspensão do conselheiro, na pauta da reunião estava justamente um código de ética para os participantes da ABAAI.

Burburinho. Nos bastidores, o comentário é de que o ambiente na reunião do conselho ficou bastante tenso, por causa da repercussão e do desconforto que teriam causado o artigo na CVM e comos players da indústria. A autarquia tem mantido conversas com o mercado sobre o tema da exclusividade e outros, movimentando os agentes autônomos contra e a favor de mudanças. Cerca de 80% dos AAIs trabalham com a plataforma da XP. Procurada, a ABAAI não comentou.

Contato: colunabroadcast@estadao.com
Siga a @colunadobroadcast no Twitter

Tudo o que sabemos sobre:

CVMXP Investimentos

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: