Após se juntar ao BTG, Lifetime mira R$ 21 bi sob custódia em 5 anos

Após se juntar ao BTG, Lifetime mira R$ 21 bi sob custódia em 5 anos

Fernanda Guimarães

28 de outubro de 2020 | 05h00

O escritório de agentes autônomos Lifetime já traçou sua meta de crescimento após ser acoplada à plataforma digital do BTG Pactual. Até o fim de 2021 quer bater a marca de R$ 5 bilhões sob custódia na nova casa.

Dança de cadeiras. No médio prazo, especificamente em cinco anos, o escritório espera alcançar cerca de R$ 21 bilhões sob gestão. Poucas semanas após a saída da Lifetime do guarda-chuva da XP, 850 clientes já optaram pela migração. A expectativa é de transferência de R$ 1 bilhão vindos dessas contas.

Planos. O objetivo é chegar a mil clientes migrados no primeiro mês. Na XP, a Lifetime tinha 4 mil clientes private, com R$ 4 bilhões sob custódia. Parte disso era por meio da gestora, que também foi para o BTG. O ganho de escala vai ao encontro do acordo fechado com o BTG, que prevê transformar o escritório em corretora com o BTG como sócio minoritário, com 49,9% do capital.

Esta reportagem foi publicada no Broadcast+ no dia 27/10/2020 às 10:46:48 .

O Broadcast+ é uma plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse http://www.broadcast.com.br/produtos/broadcastplus/

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Tudo o que sabemos sobre:

AAIsLifetimeBTG

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.