Assembleia de credores será prova de fogo para Avianca

Economia & Negócios

29 de março de 2019 | 04h00

Em meio a uma série de sucessivas notícias controversas nas últimas semanas, a instalação da assembleia de credores de amanhã, dia 29, é tida como fundamental para manter as chances de a Avianca sair viva do processo. Existe uma ampla percepção de que a companhia corre contra o tempo. Enquanto continua emitindo passagens de um lado, do outro, é ameaçada pelos arrendadores, enfurecidos, por ordens de arresto das aeronaves. A Azul, única empresa que fez oferta, já olha com preocupação para o cenário, que pode resultar numa empresa muito diferente do que pela qual fez um proposta no começo de março.

Te vira. O juiz da recuperação judicial, Tiago Limogenes, indica que prefere uma solução de mercado, ou seja, que Azul e Avianca e os arrendadores definam o destino da companhia aérea. Os concorrentes também já aparecem na história. A Latam, enquanto credora, criticou a oferta de R$ 404 milhões da Azul pela Avianca. Por outro lado, não descartou por definitivo um eventual interesse nos ativos, basicamente os slots, cobiçados pelo setor, especialmente em Guarulhos e Congonhas.