Ataques cibernéticos caem no Brasil, mas ficam mais eficazes

Ataques cibernéticos caem no Brasil, mas ficam mais eficazes

Circe Bonatelli

24 de fevereiro de 2021 | 11h00

A quantidade de tentativas de ataques cibernéticos no Brasil caiu de 24 bilhões em 2019 para 8,4 bilhões em 2020, de acordo com levantamento da empresa americana de segurança Fortinet. Apesar do recuo expressivo no número de investidas, não há muitas razões para comemorar, uma vez que os ataques avançaram em termos de sofisticação e efetividade.

Menos é mais. Segundo a companhia, os cibercriminosos estão utilizando tecnologias avançadas e inteligência artificial para desenvolver ataques direcionados com maior chance de sucesso. Isso significa que, em menos tentativas, conseguem causar mais dano.

Sequestro. Entre os ataques mais vistos está o uso de ramsomware, em que um programa de computador nocivo bloqueia o acesso a um sistema e cobra um resgate – geralmente em criptomoedas – para que a empresa ou governo pode voltar a acessar o local.

Alerta. A expectativa é que o volume de ataques siga em patamares altos, como um reflexo da chegada do 5G e maior digitalização das rotinas, com o uso de internet das coisas, inteligência artificial e equipamentos autônomos, entre outros.

Contato: colunabroadcast@estadao.com
Siga a @colunadobroad no Twitter

Esta nota foi publicada no Broadcast+ no dia 23/02/2021 às 16:58:19

O Broadcast+ é a plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse
http://www.broadcast.com.br/produtos/broadcastplus/

Tudo o que sabemos sobre:

ataques cibernéticosFortinethacker

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.