Banco Inter e Uber podem selar primeira integração de negócios do SoftBank no País

Banco Inter e Uber podem selar primeira integração de negócios do SoftBank no País

Coluna do Broadcast

13 de outubro de 2019 | 15h05

O Banco Inter e o Uber estão em conversas avançadas que podem resultar numa integração que atenderia a estratégia do gigante japonês SoftBank de criar ecossistemas de serviços por aplicativos. Ainda que o investimento feito pelo SoftBank no Uber tenha acontecido nos Estados Unidos, se concretizada, esta será a primeira sinergia de negócios que a instituição consegue concretizar no Brasil. Até agora, os principais investimentos realizados pelo Softbank no País, além do Inter, são na colombiana Rappi, Gympass, QuintoAndar e Creditas. Procurados, o Banco Inter e o Uber não comentaram.

Uma mão lava a outra. A tônica das conversas envolveria a entrega pelo Inter de toda a estrutura para que o Uber possa oferecer serviços bancários completos, como o recebimento imediato em conta das corridas. Plugado ao banco, o Uber poderia também ter parte do custo das tarifas de cartão de crédito eliminada quando passageiros pagassem por meio da conta do Banco Inter. O custo do cartão de crédito das pequenas corridas têm pesado na receita da empresa, o que inclusive a motivou a lançar o Uber Payment, uma espécie de compra antecipada de corridas em contrapartida a um desconto.

Um por vez. Esse é um modelo de negócios que pode se repetir com outros investimentos feitos pelo SoftBank no Brasil, uma vez que a tendência é de varejistas e prestadores de serviços oferecerem soluções financeiras para reter clientes. Por enquanto, o Inter é o único banco no leque de investimentos feitos pelo SoftBank no País, mas não há qualquer restrição contratual ou regulatória que impeça aportes em concorrentes do mineiro. Se concretizar a parceria com o Uber, o Inter sai na frente.

Tendências: