Banco Inter mira Novo  Mercado da B3 em 2019

Banco Inter mira Novo Mercado da B3 em 2019

Coluna do Broadcast

05 Outubro 2018 | 04h00

Cinco meses após abrir seu capital, o banco digital Inter pensa em ter suas ações listadas no Novo Mercado, segmento de maior exigência de práticas de governança corporativa da B3, a partir do segundo semestre do ano que vem.

Os preparativos estão em fase inicial, de construção da documentação e plano de negócios, e teoricamente começariam com um pedido, ao Banco Central (BC), de autorização de conversão das ações preferenciais (PN) em ordinárias (ON), visto que, no Novo Mercado, apenas papéis ON são negociados.

Do total das ações do Inter, 73% são PN. Desde a oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês), em abril, as ações do banco, da família Menin, fundadora da MRV, subiram mais de 60% na bolsa brasileira. A ideia de migração para o Novo Mercado existe desde o início do processo de IPO. Por ora, do setor bancário, apenas o Banco do Brasil integra o segmento.

Olha a onda. A onda de migração ao Novo Mercado pelas empresas brasileiras tem sido observada na B3. No ano passado, grandes companhias lideraram esse movimento. Vale, Suzano e Eletropaulo realizaram conversão de suas ações e hoje têm em seu capital apenas papéis ordinários. Outras empresas, como Braskem e Via Varejo, já comunicaram a intenção de trilhar o mesmo caminho e ter apenas ações ON.

Siga a @colunadobroad no Twitter

Para ver a Coluna do Broadcast sem o delay assine o Broadcast+ e veja todos as notícias em tempo real

Mais conteúdo sobre:

Banco Interb3