Banco Votorantim escolhe assessor para trabalho pré-IPO

Banco Votorantim escolhe assessor para trabalho pré-IPO

Coluna do Broadcast

20 de fevereiro de 2019 | 04h00

O Banco Votorantim está próximo de selecionar um assessor para ajudar no trabalho inicial para a abertura de capital, ou seja, arrumar a casa antes da oferta de ações, o IPO. No páreo, estariam um banco europeu e um americano. A decisão de ir à bolsa já está tomada e a questão agora é preparar-se para a operação. O banco que vai ajudar o Votorantim a colocar os pés na B3 tem chances de ser o primeiro do sindicato que deve estruturar a abertura de capital. Uma das possibilidades estudadas, inclusive, é identificar um investidor para ancorar o IPO, ficando com um pedaço da oferta já de cara. O mercado gosta deste formato e já existiriam, inclusive, candidatos batendo na porta do Banco do Brasil, que é dono de metade do banco. O outro sócio é a família Ermírio de Moraes.

Caminho das pedras. A ideia dos controladores do Votorantim é abrir o capital primeiro e vender a participação depois. O modelo é o que mais agrada o governo Jair Bolsonaro por ser mais transparente e já precificar o ativo para um futuro investidor. Após a oferta, o BB venderia sua fatia, de 49,99% do capital votante. A família Ermírio de Moraes também cogita negociar os papéis. Procurados, BB e Votorantim não se manifestaram a respeito.

Siga a @colunadobroad no Twitter

Para ver a Coluna do Broadcast sem o delay assine o Broadcast+

Tudo o que sabemos sobre:

votorantimBBIPO

Tendências: