Bancos correm para ofertar crédito com aval do fundo do BNDES

Bancos correm para ofertar crédito com aval do fundo do BNDES

Aline Bronzati

09 de junho de 2020 | 05h00

Os bancos correm para colocar o programa de crédito para pequenas e médias empresas com garantia do fundo de aval do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) em pé até o fim de junho. Início de julho seria a data limite trabalhada nos bastidores. A medida provisória 975, publicada na semana passada, foi apenas o primeiro passo para viabilizar a linha.

Potencial de empréstimos é de R$ 100 bilhões

O Programa Emergencial de Acesso a Crédito é uma das apostas do governo Bolsonaro para deslanchar o crédito para a pequena e média empresa, que ainda não foi atendida na crise. O potencial é de R$ 100 bilhões em empréstimos a partir do reforço de R$ 20 bilhões no Fundo Garantidor de Investimentos (FGI), que vai garantir as operações. Na mira, empresas que faturam de R$ 360 mil a R$ 300 milhões ao ano.

A linha que conta com o FGI avança ao mesmo tempo que outra iniciativa, o Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe), que terá o Fundo Garantidor de Operações (FGO) para cobrir parte do calote. Apesar de ambos terem no custo o fator chave de atratividade aos bancos, o primeiro parece despertar mais o interesse dos bancos privados. O nível de risco pesa. No Pronampe, que deve ser anunciado esta semana pelo Ministério da Economia, o foco são empresas com faturamento anual até R$ 4,8 milhões e o limite de crédito será de R$ 100 mil.

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Siga a @colunadobroad no Twitter

Tudo o que sabemos sobre:

Bancosbndespronampe

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: