Bancos de fomento se unem pela Amazônia, e BID deve levantar US$ 1 bi

Bancos de fomento se unem pela Amazônia, e BID deve levantar US$ 1 bi

Marcelo Mota

02 de novembro de 2021 | 05h20

Floresta tem enfrentado alta no desmatamento  Foto: Tiago Queiroz/Estadão

Penalizada com a paralisação de programas de fomento sustentável durante a gestão Bolsonaro, a Amazônia pode voltar a receber muitas ‘verdinhas’, após a COP26. O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) aproveitará a conferência sobre o clima, que acontece em Glasgow, na Escócia, para angariar recursos para a região. Segundo o presidente da Associação Brasileira de Desenvolvimento (ABDE), Sergio Gusmão Suchodolski, o BID já tem um fundo estruturado com US$ 300 milhões, mas deve conseguir elevar esse saldo a mais de US$ 1 bilhão.

O fundo vai ser a ponta de lança da Aliança para o Financiamento da Amazônia, iniciativa criada pela ABDE, que reúne 31 instituições de fomento, com BID e Iclei, rede global que congrega governos locais e regionais. A Aliança será lançada na quarta-feira, no espaço Brazil Climate Action Hub, instalado na conferência.

 

Esta nota foi publicada no Broadcast  no dia 01/11/21, às 18h30.

O Broadcast+ é uma plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse.

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.